Após seis dias, Tribunal do Júri inocenta policiais militares acusados de executar 5 assaltantes


Após seis dias de julgamento, terminou às 22h30 desta segunda-feira (9), no Tribunal do Júri em Curitiba, o maior julgamento do estado do Paraná, considerando o número de réus e de testemunhas arroladas. E a decisão foi de absolver nesta segunda-feira (9) todos os 12 policiais militares acusados de matar cinco suspeitos de roubar um carro em 2009, no bairro Alto da Glória, em Curitiba.

Em uma sala secreta, os jurados decidiram que os policiais não eram culpados nem por homicídio nem por fraude processual. Ainda cabe recurso.
Houve comoção do lado de dentro e também entre os que aguardavam o resultado do lado de fora do tribunal do Júri.

O episódio, que terminou com a morte dos cinco suspeitos ficou conhecido como “Perseguição do Alto da Glória”, aconteceu no dia 11 de setembro de 2009. Os cinco mortos, que tinham acabado de cometer dois assaltos, estavam em um carro furtado que furou bloqueio da Rotam.

Os policiais contaram que, após o acidente, cinco jovens desceram do veículo e começaram a atirar. No confronto, os jovens teriam sido atingidos e mortos. Porém, um inquérito feito pela própria Polícia Militar apurou que a versão dos policiais era mentirosa. A investigação apontou que os jovens se renderam depois de baterem o carro e não atiraram. O grupo foi algemado e levado para as viaturas.

O aparelho rastreador instalado nos carros da PM apontou que, antes de irem ao hospital, os policiais pararam em um terreno baldio, no bairro Atuba, também em Curitiba. Nesse local, eles teriam matado os jovens.

Defesa

Segundo o advogado de defesa Claudio Dalledone., a justiça foi feita. Foram nove anos de guerra e batalha. Fomos atacados de todas as maneiras, mas sempre acreditamos que teríamos vez e voz na Justiça. A Polícia Miltiar foi representada colocando que aqui a Polícia não mata, que aqui a polícia age e protege. Não houve nenhum fato criminoso e agora os policiais voltam pra casa de cabeça erguida. A inversão de valores não pode acontecer.A família de dois criminosos ainda pedia indenização milionária ao Governo. Queria saber quem é que vai pedir desculpas para esses homens e para família deles”, afirmou o advogado.

Ao final do julgamento, ainda em frente ao Tribunal do Júri, os advogados, os policiais envolvidos e seus familiares agradeceram a Deus, pelo veredicto com a oração do Pai Nosso.

 





Todos os direitos reservados. © Copyrıght 2015
Desenvolvido por Azz Agência